quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Mira baixa

Se te vejo dançar o tempo pára,
Uma parte de mim fica inquieta
Cupido mirou baixo a sua seta
Teu remelexo atiça a minha tara.

Se, dançando, me fitas, minha cara,
Depois te ouço chamar - Vem, meu poeta!
A febre que tua frase me acarreta,
Percebes ao me olhar, no corpo é clara...

Agora o que mais quero neste mundo
É em ti me aprofundar, ir mais pro fundo...
Querida, quer ouvir um teu vassalo,

Que inebriado está por teu encanto,
Chega perto de mim, vem cá, num canto
Continuar dançando o mesmo embalo.

3 comentários:

  1. belo poema!
    vou pedir pro meu poeta copiar e mandar para mim...
    kkkkkkkkk
    .
    .
    .

    ResponderExcluir
  2. melhor eu ler por aqui mesmo!
    hahahahaha

    ResponderExcluir